Caros,
Não estou mais trabalhando em Fortaleza.
Mas atendo pelo internet, com aulas à distância.
Entrem em contato pelo email teresapontocom@gmail.com ou pelo nome Skype teresapontocom!


sexta-feira, 27 de junho de 2014

Por que focar em speaking?

Falar inglês é a habilidade mais difícil de dominar,
por isso, requer muita prática.

Existem cursos de conversação no mercado, em que o aluno não estuda formalmente gramática, fonética, vocabulário e outros aspectos da língua, nem trabalha as outras três habilidades do ensino/aprendizado da língua estrangeira. O tipo de abordagem com que eu trabalho não é aula de conversação. Eu acho mais eficaz trabalhar com a língua por inteiro, em todos os seus aspectos. Nas minhas aulas, nós trabalhamos speaking, listening, reading e writing.

A abordagem holística que eu adoto tem uma razão de ser. Eu acredito que aprender uma língua estrangeira é muitíssimo mais do que simplesmente adquirir a habilidade de falar em outra língua. Durante o estudo de inglês o aluno está estudando linguagem. Todas as competências linguísticas do aluno têm um salto de qualidade quando ele se propõe a estudar uma língua estrangeira. Ele passa a ter mais consciência das estratégias de leitura, dos processos morfológicos da língua, das variações linguísticas a que as línguas estão sujeitas etc.

Também, cada uma das habilidades trabalhadas em inglês funciona como suporte para outras. A exposição à língua pelo reading e pelo listening provê o aluno com estruturas e vocabulário que ele vai usar em outros contextos para falar inglês. Trabalhar com a construção de estruturas com tempo para reflexão, nas lições de writing, possibilitam a melhor compreensão dessas estruturas quando encontradas num texto, mais tarde, e também sua utilização de forma mais correta quando o aluno estiver falando.

O foco de nossas aulas, no entanto, é sempre o speaking. E isto por duas razões.

Primeiro, falar inglês é na esmagadora maioria das vezes a maior ansiedade dos alunos. Todo mundo quer ser logo capaz de falar, de estabelecer comunicação com outros falantes. De "gastar" o inglês por aí e mostrar pro mundo o sucesso deles nessa tarefa desfiadora que é aprender uma língua estrangeira.

Segundo porque, em realidade, das quatro habilidades, o speaking é a mais difícil de dominar. Aprender a decodificar textos, escritos (reading) e falados (listening), esse momento passivo da comunicação, é muito mais fácil do que produzir a língua. Na decodificação você tem mil pistas no contexto, pode ignorar estruturas ou palavras conhecidas sem afetar significativamente a compreensão geral, pode reconhecer estruturas que você nunca entendeu muito bem etc.

Quando o problema é a produção da língua, aí o negócio começa a ficar mais complicado. Seus interlocutores dependem de que você produza as estruturas de maneira que eles possam reconhecê-las, ou seja, corretamente, e que você expresse exatamente o que você quer dizer. A palavra certa pra ideia certa. O desafio é claramente muito maior!

Quando estamos escrevendo, temos ainda ali algum tempo pra pensar no que estamos fazendo, pra planejar as frases, considerar as palavras... Mas no momento de falar, as coisas são muito mais rápidas, imediatas.

Por esses motivos todos é que você acha muito mais difícil falar inglês do que realizar outras tarefas, como entender a TV sem legenda, ou ler instruções de um software, ou discutir algum assunto nos comentários da vida na Internet. O grande truque pra aprender a falar bem, como tudo na vida, é um só: prática. Por isso que é nas minhas aulas eu constantemente crio oportunidades para os alunos praticarem o speaking, e não só como conversação, mas de diversas formas diferentes.

Aulas de inglês com uma abordagem completa e foco no speaking, é com a teacher Teresa, em Fortaleza!